Lançamento do grupo de estudo “Leituras Feministas” // Luísa Sequeira

Lançamento do grupo de estudo “Leituras Feministas” // Luísa Sequeira

As metodologias feministas nas artes estão amplamente disseminadas, mas por vezes pouco reconhecidas pelo meio artístico, pouco estudadas nas instituições académicas e mesmo pouco conhecidas pelxs estudantes de práticas artísticas – nos 3 níveis de ensino. Temo-nos deparado na FBAUP e principalmente no centro de estudos i2ADS com um crescente interesse pelas teorias e metodologias feministas e queer. De forma a colmatar lacunas, ir ao encontro dos interesses dxs extudantes e investigadorxs, e relacionar os projetos artísticos e de investigação no i2ADS, FBAUP, e comunidade mais alargada, pretendemos iniciar um grupo aberto de estudo das questões de género nas artes. Em debate estarão questões tão alargadas como: a visibilidade de práticas artísticas feministas, minoritárias e qual o impacto da recuperação dessas práticas no seio da história da arte; a diferença sexual racial e de classe como impulsionador da prática e leitura da arte e cultura, leituras feministas e pós-coloniais; as práticas no campo expandido, arte, performance, e vida, o pessoal é político; e finalmente práticas de cuidado, responsabilidade e responsabilização. O grupo de estudo andará em torno da leitura e discussão de textos seminais, mas também da prática e ação enquanto produção de conhecimento. Assim, como lançamento deste grupo de estudo propomos a leitura de autorxs seminais como: Judith Butler, Silvia Federici, Paul B. Preciado, bell hook, Grada Kilomba, mas também o visionamento do filme, “Quem é Barbara Virginia?” de Luísa Sequeira, sobre a primeira mulher realizadora portuguesa no festival de Cannes. Este momento servirá também como um momento de convocatória mais alargada do grupo de estudo que pretende entender práticas artísticas, ativistas e culturais à luz da interseccionalidade e das teorias e metodologias feminista, esperando contribuir para o avanço das práticas artísticas e investigativas dxs participantes.Luísa Sequeira é realizadora e faz curadoria de cinema, trabalha em diferentes plataformas, como, vídeo, filme e fotografia, explorando as intersecções do cinema e dos media emergentes. Estudou jornalismo e tem uma especialização em realização de documentários, neste momento está a fazer um doutoramento em Arte dos Media. Luísa trabalhou na RTP, coordenando e apresentando vários projectos. Entre eles, destacam-se o “Cumplicidades” e o “Fotograma”, um magazine semanal dedicado ao cinema em língua portuguesa. Desde 2010, é diretora do festival de curtas-metragens “Shortcutz Porto” e do “Super 9 Mobile Film Fest”, o primeiro festival português, exclusivamente dedicado a filmes realizados com mobile.  Recentemente, estreou a sua primeira longa-metragem documental, “Quem é Bárbara Virgínia?”, filme que foi exibido em vários festivais de cinema, entre eles, o festival Internacional de Roterdão, Mostra de São Paulo e o Doclisboa, foi o vencedor na categoria de documentário no Festival Caminhos do Cinema Português. Realizou e produziu várias curtas, entre elas; “Os Cravos e a Rocha”, “La Luna”, “Memória, substantivo feminino” e “My Choice”. Co-realizou com o artista Sama, uma série de animação de 13 episódios para o canal Brasil. Neste momento está a realizar com o artista Sama o documentário” Nada a Temer”,  um filme sobre a actual situação política e social do Brasil e está a produzir com a Luísa Marinho e com a  Ana Luísa Amaral um documentário sobre “As Novas Cartas Portuguesas”.Coordenação Carla Cruz (i2ADS/FBAUP)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *